AbdonMarinho - Home
Bem Vindo a Pagina de Abdon Marinho, Ideias e Opiniões, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017



A palavra é o instrumento irresistível da conquista da liberdade.

Rui Barbosa

Escrito por Abdon Marinho

A ÉTICA ELÁSTICA.

UM antigo político maranhense (mas deve ter outros semelhantes noutras placas) costumava dizer que seus amigos não tinham defeitos, já os inimigos quando não os tinha, ele colocava. 

Faz uns dias venho pensando no quanto a ética do brasileiro é contraditória e “elástica”. 

Nunca se falou tanto em ética e moralidade na política – e isso não vem de hoje –, mas, a cada eleição os cidadãos votam nos mesmos políticos ou noutros piores. Com isso, o que temos testemunhado é um quadro politico cada vez mais horroroso onde parlamentares dos mais variados partidos e casas políticas...

Escrito por Abdon Marinho

DITADURA É DITADURA NÃO IMPORTA SE DE DIREITA OU DE ESQUERDA.

A HISTÓRIA se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa. O pensamento do teórico do comunismo, Karl Marx, no Dezoito Brumário de Louis Bonaparte, 1852, sempre foi repetido como mantra pelos militantes e ideólogos das esquerdas nacionais.

O incrível disso é que não reconhecem quando tais situações acontecem, mesmo quando atropelados pelos fatos. 

Nos últimos dias temos visto a historia se repetir na Venezuela. E, diferente do pregado por Marx, repete-se como tragédia e farsa. Com tragédia pela alto grau de miséria e violência a...

Escrito por Abdon Marinho

A ARTE DE APAGAR INCÊNDIO COM GASOLINA. 

NO AUGE da crise de 1954 – que ficara mais aguda com o assassinato do major Vaz, na Rua do Toneleiro, rio de Janeiro, enquanto fazia a segurança do líder oposicionista Carlos Lacerda e o manifesto dos coronéis negando apoio ao governo –, Ivete Vargas, a filha mais política do velho caudilho, teria sugerido ao pai que buscasse apoio em setores das Forças Armadas. Getúlio teria, supostamente, respondido: — minha filha, militar pensa como militar. 

Se Getúlio Vargas fez ou não tal assertiva é algo que nunca saberemos. O certo é que rechaçou...

Escrito por Abdon Marinho

O SILÊNCIO DOS CULPADOS OU A VENEZUELA É LOGO ALI. 

TODOS os dias centenas de venezuelanos cruzam a fronteira para o Brasil em busca de uma condição de vida melhor para si e para os seus. Aqui chegando os que não possuem meios e/ou qualificação suficiente,  lançam de qualquer coisa, inclusive do próprio corpo para sobreviverem. 

Fogem da escassez de alimentos, de remédios, da repressão política.

Os que ficam na Venezuela, diariamente, engrossam os cordões de protestos, violentamente reprimidos pelo governo, que, em apenas três meses, ceifou a vida de quase uma centena de cidadãos, sobretudo de jovens, na faixa...

Escrito por Abdon Marinho

RIO DE LÁGRIMAS.

NUNCA uma metáfora fez tanto sentido quanto esta que refere-se ao Rio de Janeiro como um rio de lágrimas. 

No horripilante cenário de absurdos que tomou conta da cidade (e do estado) não há quem não lembre de uma tragédia que tenha lhe despertado a atenção com mais intensidade – isso independente de ser o cidadão do próprio estado ou não. 

Apenas neste mês, em conversas com amigos, um dizia que lhe chamara atenção fora um assalto “ao vivo” de uma senhora em pleno calçadão, com dezenas transeuntes indiferentes. Um outro disse-me que lhe incomodou as imagens...

Escrito por Abdon Marinho

LUÍS INÁCIO, 71, CONDENADO.

UM dos bordões mais festejados nos tempos do governo Lula e que, praticamente, se fazia presente em todos os discursos do ex-presidente, dizia: “nunca antes na história deste país …”. Seguido desta ou daquele fato que, muitas vezes, nem tinha o seu governo, ou sua iniciativa como precursora.

Hoje, numa daquelas ironias que só a história pode proporcionar, o ex-presidente tornou-se sujeito é objeto do seu próprio bordão: nunca antes na história deste país um ex-presidente foi condenado por corrupção. 

Desta vez, não se trata de mero exercício de retórica a reforçar feitos, muitas vezes imaginários,...