AbdonMarinho - OS HOMENS BONS.
Bem Vindo a Pagina de Abdon Marinho, Ideias e Opiniões, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017



A palavra é o instrumento irresistível da conquista da liberdade.

Rui Barbosa

Escrito por Abdon Marinho

OS HOMENS BONS.

Os dias passam, e como não há verdade que fique oculta para sempre, vão surgindo os fatos que só nos envergonham. Essa semana tomamos conhecimento que 1.500 pessoas trabalharam e trabalham de forma voluntária para a Prefeitura da capital, desde março do ano passado até os dias atuais. A atual gestão informa que serão pagos pelo trabalho desenvolvido de janeiro para cá.

Os dirigentes da cooperativa que colocou esses cidadãos para trabalhar informam que possuem declarações de trabalho voluntário assinadas por essas pessoas, que possuídas pelo espírito mais altruísta se submeteram e se submetem a isso há mais de um ano.

Aqui com meus botões fico imaginando o que de fato aconteceu, o grau de desespero a que essas pessoas, em busca de um emprego, foram colocadas. Elas trabalhavam por conta de uma cooperativa que deveriam lhes pagar bem menos que mereciam, sem quaisquer direitos garantidos por lei. Findo o contrato com a cooperativa, começaram a enganação do tipo \"vocês vão se segurando por aí, que logo seremos contratados e seus empregos serão garantidos, assinem aqui uma declaração de trabalho voluntário\", mais adiante, \"olha deixa passar a eleição que o prefeito já prometeu nos contratar\", mais adiante \"votem nos nossos candidatos que os empregos serão garantidos\", finda eleição, prefeito derrotado mais vereador eleito, \"vamos atrás do prefeito para pagar esse atrasado\", o fim do ano chegou, Natal triste, mais promessas, mais esperanças, \"se segurem aí que o novo prefeito não terá coragem de demitir ninguém que esteja trabalhando\". Imagino que tenha sido isso o acontecido, apenas imagino, o que conheço do fato é o lido nos jornais.

É absolutamente vergonhoso que a prefeitura da capital do estado tenha se valido de trabalho escravo, pessoas trabalhando mês após mês sem salários, movidos apenas por promessas e esperanças vãs. É vergonhoso que decorridos quase noventa dias do novo governo essa situação perdure. É vergonhoso que o Ministério Público do Trabalho não tenha tomado providencias a respeito de fato de tamanha gravidade. É vergonhoso que sindicatos de servidores e entidades de classe não digam nada sobre essa situação deplorável.  Como 1500 trabalhadores escravos passaram despercebidos na capital? O que tem a dizer os vereadores de outrora? Dirão que não sabiam? Para que servem então? Quanto recebiam e recebem essas cooperativas, quanto, de fato, chega as mãos dos trabalhadores? Ninguém sabe. Mais muitos lucraram e lucram explorando a mão de obra escrava.

Leio aqui que, com um ano de atraso, o Vereador Chaguinha pediu o pedirá uma CPI para apurar esse fato, antes tarde do nunca, mas ainda é muito pouco. O que aconteceu não é admissível nem em Satubinha ou em outro município perdido nos cafundós do Maranhão, quanto mais numa capital de estado. Esses trabalhadores merecem, não só receber pelo que trabalharam, como um pedido público de desculpa por parte das autoridades. Ninguém pode enricar as custas do trabalho alheio, muito menos o poder público. O MPT, assim como faz com empresas, fazendeiros, etc., deve notificar a prefeitura para que apresente explicações convincentes e se for o caso, deve listar a prefeitura como exploradora de mão de obra escrava.

O que fez e o que faz o Município de São Luís, inclusive por esse inexplicável silêncio, é indigno, é ultrajante, é humilhante não só para os trabalhadores que foram escravizados, como para os cidadãos de bem que paga uma carga tributária exorbitante. O silêncio da atual gestão a torna cúmplice desse vexame, mesmo porque o crime continua, a vergonha continua e os maus hábitos também.

Outro dia ouvi dizer que o Secretário Municipal de Educação, ao vivo, na televisão declarou exultante uma boa nova: um empresário iria doar a reforma de todas as carteiras escolar da rede. Como é que é? Que história é essa do município está recendo presentes de empresários? O município continuará enriquecendo sem causa? Não bastava o vexame do começo do ano em se fez campanha pública para alimentar os pacientes que morriam de fome nos corredores do socorrão?

Me perdoem, eu sou lerdo das idéias por isso não consigo entender o que se passa, é normal o poder público manter mão de obra escrava? Tem outro nome para a situação de pessoas que trabalham mais de ano sem receber salário, vale alimentação, vale transporte, ter recolhido o INSS, FGTS, etc? É normal o poder público receber presentes de empresários?

Se tudo isso que narrei for normal, acho que sou que preciso de tratamento médico.

Bom dia a todos.

 

P.S. O Estado Maranhão, diretamente ou através de cooperativas, também tem o péssimo hábito contratar pessoas que ficam meses a fio sem receber um centavo. Tudo isso diante do silêncio quase criminoso das autoridades. Perdão, são as autoridades que estão praticando os delitos.